A escassez hídrica no Município de Campinas, Brasil (2013-2015), a partir das percepções da população: ¿crise hídrica ou desastre socialmente construído?

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Tathiane Mayumi Anazawa
Roberto Luiz do Carmo
Antonio Miguel Vieira Monteiro

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Sección
Artículos
Cómo citar
Mayumi Anazawa, T., Luiz do Carmo, R., & Vieira Monteiro, A. M. (2020). A escassez hídrica no Município de Campinas, Brasil (2013-2015), a partir das percepções da população: ¿crise hídrica ou desastre socialmente construído?. Antropología Americana, 4(8), 61-85. Recuperado a partir de https://revistasipgh.org/index.php/anam/article/view/679
estadisticas

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Resumen

 No Brasil, especificamente na região Sudeste, os baixos índices pluviométricos iniciados em 2013 e que decresceram durante 2014 e 2015 caracterizaram uma estiagem de caráter prolongado, resultando em escassez hídrica, em um desastre socialmente construído. O objetivo deste trablho é analisar as diferentes percepções da população do município de Campinas, e suas relações com diversos fatores, como a veiculação de notícias pela imprensa, a distribuição espacial da população e suas características demográficas. As percepções da população sobre a escassez hídrica no município de Campinas (2013-2015), foram analisadas a partir da aplicaНЛo de um survey  (N=200 entrevistas), sendo que a maior parte dos entrevistados (56,5% do total), acredita que Campinas vivenciou um desastre no perТodo considerado.

Palabras clave

população e meio ambiente
desastres
aspectos sociais
falta de água
percepção
survey