Ativação do patrimônio biocultural do cerrado e turismo comunitário: notas metodológicas a partir do caso de Penedo (São Desidério, Bahia, Brasil)

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Paulo Roberto Baqueiro Brandão

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Sección
Artículos
Cómo citar
Baqueiro Brandão, P. (2020). Ativação do patrimônio biocultural do cerrado e turismo comunitário: notas metodológicas a partir do caso de Penedo (São Desidério, Bahia, Brasil). Revista Geográfica, (161), 83-100. https://doi.org/10.35424/regeo.161.2020.754
estadisticas

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Resumen

Este texto parte de um questionamento: quais são os caminhos metodológicos para o desenvolvimento de uma proposta de turismo comunitário em pequenas localidades a partir da ativação do patrimônio biocultural e sob a inspiração do Buen Vivir como filosofia de vida e práxis territorial? Diante dessa indagação, pretende-se apresentar uma proposta metodológica para implantação de iniciativa de turismo comunitário a partir da ativação do patrimônio biocultural do cerrado, considerando a possibilidade da sua realização em Penedo, localidade do município baiano de São Desidério (Brasil). Para tanto, o artigo segue um roteiro que exprime a necessidade de (a) desenvolver um arcabouço teórico-conceitual orientador do trabalho de investigação-intervenção a ser desenvolvido, (b) caracterizar a localidade objeto dessa ação cooperativa e (c) apontar ferramentas de pesquisa para a identificação das territorialidades e temporalidades locais, bem como dos principais problemas e riscos que afetam o povoado de Penedo, suas causas e efeitos.

Palabras clave

Buen Vivir
Práxis territorial
Patrimônio biocultural
Turismo comunitário
Penedo (São Desidério, Brasil)